6 de dezembro de 2017

Trump, talvez o último conservador

Este articulista evita defender políticos. Fato é que — no campo não-econômico — Mr. Donald tem demonstrado posicionamentos bastante conservadores. Não quer dizer que ele seja lá flor que se cheire. Seu alinhamento com o conservadorismo se dá mais por razões políticas que de convicção sincera. Não obstante, nosso prognóstico é que, na condição de defensor do entendimento judaico-cristão, ele seja o último a alcançar o posto máximo de Washington nessa geração.

A eleição de Trump, aliás, foi um ponto fora da curva. Assim como o Brexit, quase um acidente. De fato, em números absolutos, o topete loiro teria perdido. Ganhou foi pelo voto dos estados. Entretanto, a continuar como vem acontecendo, o povo por lá não voltará a escolher outro político tido por retrógrado, pois o espírito que domina a Europa, Canadá e Austrália se apossa dos EUA a passos largos. 

Mas vamos dar o devido crédito, eles foram o último bastião da resistência conservadora entre os países ricos. Pode até ser que outros presidentes "estadunidenses" se nominem conservadores, mas não o serão de fato, como se dá hoje no parlamento britânico.

Ninguém pode afirmar que esse movimento é irreversível. O curso sempre pode mudar. Quem sabe daqui a 50 anos eles despertem e resolvam abraçar novamente o legado cristão. Mas hoje a tendência que se verifica é esta, cada vez mais têm eles excluído Deus de suas vidas, lamentavelmente.

5 de dezembro de 2017

Procura-se

Não encontro nas lojas calça jeans masculina de homem, aquela que não afina nas canelas. Sumiram.

2 de dezembro de 2017

Qual deve ser nossa atitude em relação a judeus e muçulmanos?

Nem odiar nem venerar, amar. Essa é a conduta que cabe a nós cristãos, para com todos os povos. Pois, quer judeus ou gregos, Deus colocou todos sob a desobediência, para exercer misericórdia para com todos (Rm 11.32). Apenas um pode nos resgatar. Independente da nação de origem, nós, homens ou mulheres, carecemos da clemência de Deus em Cristo. Não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual importa que sejamos salvos (At 4.12). E ele nos ensinou a amar todos indistintamente, até mesmo aqueles que nos fizeram mal (Mt 5.43). Nossa luta não é contra humanos, mas contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal (Ef 6.12).

30 de novembro de 2017

Juristas que querem angariar respeito geralmente superestimam a Constituição.

24 de novembro de 2017

Paçoca Amendupã

Aí vai uma propaganda gratuita.

A Paçoquinha Amendupã retangular vem com uma quantidade moderada de açúcar, sem excessos. É a melhor que já provei.

Mas atente: é a do tipo retangular, como a da imagem ao lado.

Não exagere.

19 de novembro de 2017

O cubo mágico do mundo

43 quintilhões é o número de combinações possíveis para o cubo mágico, ou cubo de Rubik. Mais precisamente
43.252.003.274.489.856.000, segundo a Wikipédia.

No reino dos homens não é lá diferente. As chances combinatórias entre as ações humanas e naturais não são infinitas, como se poderia pensar. Apenas não cabem no intelecto humanal. Mas poderiam ser calculadas com precisão.

O mundo é um grande cubo mágico de combinações finitas.

8 de novembro de 2017

Concluí que o keynesianismo pode funcionar, mas é improvável. Já o liberalismo econômico funciona invariavelmente.